07 mar

Desenvolvimento da Linguagem e Fala

bigstock-child-speaking-and-alphabet-le-18001274

Muitos pais ficam com diversas dúvidas do que é normal ou não no desenvolvimento da fala do seu filho. As comparações com outras crianças são inevitáveis, mas saibam que cada criança tem seu tempo e os estímulos que são empregados a ela determinam (e muito) sua aprendizagem.

Quando se tem um filho, os pais (principalmente os de primeira viagem) imaginam aquele pequeno bebê fazendo diversas coisa: rolando, engatinhando, andando, correndo pela casa e falando pelos cotovelos. Somos tomados por uma ansiedade tremenda em ver seu desenvolvimento a pleno vapor que, quando ocorre alguma coisa diferente do que esperando, desesperamos.

Comigo não foi diferente. JP deu seus primeiros passinhos bem tarde (com um ano e meio) e as palavras agora que estão começando a querer a sair –  com quase três anos. Pensa na minha ansiedade.

E como essa é uma dúvida não só minha, mas de vários leitores e seguidores, convidei as minhas queridas doutoras e parceiras Daniela e Jessica, do Blog Pediatria Sem Stress para falar um pouco sobre esse desenvolvimento.

Espero que gostem!


A aquisição da linguagem depende do desenvolvimento adequado de todas as estruturas cerebrais associado a estímulo e interação social. Assim, o aprendizado da mesma é uma coisa intrínseca do ser humano, entretanto depende muito da qualidade do estímulo que essa criança receberá.

Marcos do Desenvolvimento da Linguagem e Fala

1 mês

  • Vocaliza vogais (“oooh”/ “aaaaa”)
  • Dá risada

2 meses

  • Grita

3 meses

  • Volta-se para o barulho e para sons
  • Imita sons

4 meses

  • Começa a balbuciar todos os sons imagináveis
  • Vocaliza sílabas

6 meses

  • Começa a falar sílabas não específicas (“dada”)
  • Tagarela

9 meses

  • A vocalização agora tem controle do tom e da intensidade
  • Começa a falar sílabas específicas
  • Começa a encurtar e espaçar as vocalizações para dar espaço as respostas do adulto

12 meses

  • Primeiras palavras

18 meses

  • Consegue falar palavras (em média de 6)
  • Começa a juntas palavras e apontar figuras
  • Surgem as palavras-frases que valem por frases inteiras

2 anos

  • Fala metade compreensível
  • Nomeia partes do corpo
  • Nomeia algumas figuras
  • Vocabulário com cerca de 50 palavras

2 anos e meio 

  • Vocabulário com 150 a 200 palavras
  • Sabe formar frases pequenas, com 2 a 3 palavras
  • Consegue expressar o que deseja através de nomeação, comentários e expressão de atributos
  • Diálogo, com reciprocidade

3 anos

  • Conhece adjetivos
  • Nomeia pelo menos 4 figuras
  • Começa a nomear cores e ações
  • Frases mais complexas (com pelo menos 4 elementos)
  • Conhece os opostos (frio/quente, forte/fraco, grande/pequeno)
  • Sabe gênero e números

3 anos e meio 

  • Adquiriu a habilidade de emitir todos os sons de consoantes
  • Consegue falar várias frases, usando “e”, “mas”, “porque”
  • Começa a fazer perguntas
  • Uso mais elaborado dos tempos verbais
  • Consegue relatar experiências vividas por ela

4 anos

  • Fala totalmente compreensível
  • Consegue emitir som de consoantes duplas (“br”, “pr”, “lh”)

A partir dos 4 anos 

  • Nomeia pelo menos 4 cores
  • Compreende preposições
  • Conhece adjetivos
  • Compreende histórias maiores podendo responder perguntas sobre elas
  • Deve apresentar a fala fluente, utilizando frases com todos os elementos

 

unnamed

Atraso no Desenvolvimento da Linguagem

Existem transtornos que podem atrasar a aquisição da linguagem da criança: podem variar desde imaturidade da mesma até gagueira, alterações semânticas ou troca de sílabas.

Lembrando que os marcos de desenvolvimento da linguagem e fala são uma estimativa de idade, podendo ocorrer um pouco antes ou depois. O acompanhamento com pediatra é fundamental para que seja reconhecido o atraso de forma precoce, e assim, avaliação e tratamento devem ser instituídos conforme o diagnóstico.

Fonte:

  • Denver II
  • Artigo: “Aquisição e Desenvolvimento da Linguagem: Dificuldades que podem surgir nesse percurso”

Foto: Instituto Educacional Guilherme Miller – guilhermemiller.com.br


Este post foi feito pela nossas parceiras do Blog, a doutora Jessica Loekmanwidjaja e doutora Daniela Armonia Munhoes, médicas pediatras formadas pela UNIFESP e especializadas em Alergia e Imunologia pela UNIFESP. Além de médicas, elas são autoras do Blog Pediatria Sem Stress, que surgiu com o objetivo de trocar informações e orientações sobre os principais assuntos em pediatria e alergia de uma forma clara e confiável para os pais e pacientes.

unnamed

Adorei a postagem mas o mais importante é: Sem pressão, cada um tem o seu tempo!!!

Luciana Emely disse:

Com certeza. Ficar de olho só para não deixar passar batido algum problema. bjos

Michele disse:

Adorei o post, assim podemos ter noção sobre o desenvolvimento nas não podemos deixar de lembrar que cada criança tem o seu ritmo pois tem cada pessoa que adora comparar e achar seu filho melhor

Bjs Mi Gobbato

Luciana Emely disse:

Disse tudo MI.. as pessoas julgam e acham os seus melhores.

Parece óbvio, mas muitas mães não sabem o que é normal ou o que deve ser observado em cada fase da construção da linguagem das crianças. Bom para saber quando se preocupar e procurar ajuda profissional.

Luciana Emely disse:

Claro, por conta disso é que estamos investigando tudo a respeito de JP não falar.

Aqui Zé tem um pouco de atraso na fala tô esperando fono pelo sus! Mas o médico do próprio posto acompanha ele também!

Luciana Emely disse:

Estamos indo ao fono também, mas por enquanto tudo dentro da normalidade.

fanny disse:

Lú! eu sofri muito com o olhar alheio, pois o rafa só veio falar mesmo com 2 anos e meio, me preocupava sim, mas o que mais me irritava era a crítica de quem sempre está julgando ou tentando achar defeito… Toda criança tem um tempinho diferente, e no final, todas falam! beijos

Luciana Emely disse:

Fanny estou sofrendo com o julgamento. JP ainda não fala e tento fazer cara de paisagem quando indagam o pq! estamos fazendo exames e por enquanto tudo dentro da normalidade

Jacky lima disse:

Gostei muito do post Lu, tenho um bebê de 2 anos e meio em casa e tenho notado algumas dificuldades na fala. Não sei se é preguiça ou atraso mesmo.

Luciana Emely disse:

Estamos passando por isso aqui e já procurei um médico. Por enquanto, tudo dentro da normalidade.

Pauleni disse:

Hoje minha mãe conversou comigo sobre este assunto, ela me disse que os meninos( meus filhos), falam super bem e conhecem mais de 3000 palavras. Acho que no caso de gêmeos as palavras triplicam, porque falam muito mesmo.

bjs,

Luciana Emely disse:

Sim, concordo. Até porque eles estão sempre juntos e um incentiva o outro. Bjso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

© 2014-2017 . Todos os direitos reservados ao Blog Recém Mãe| Design Por Luciana Emely